Realização Criarmed
Seja sponsor de
um encontro único
  • +55 71 98129-8720 | +55 11 9 7477-9383
  • comercial@celebrasaude.com.br
©2018 Celebra - Todos os Direitos Reservados

Mesmo com variável política, ABRAMGE projeta 2019 com crescimento de 1,5%

Eleito para o triênio 2018/2021, o atual presidente da Associação Brasileira de Planos de Saúde (Abramge), Reinaldo Scheibe, prefere a cautela para falar de projeções no setor. Depois de instabilidade nos dois últimos anos, quando houve decréscimo no número de vidas, 2018 deverá fechar com a primeira alta consistente no pós-crise. “Nossa perspectiva é que o mercado encerre o ano com cerca de 47,5 milhões de beneficiários de planos médico-hospitalares, consolidando um pequeno, mas importante, crescimento no período”, prevê Scheibe, uma das presenças confirmadas no Celebra.

Para 2019, a entidade, que representa 150 operadoras de saúde, estima um crescimento de 1,5% do setor, elevando para 48,2 milhões o número de beneficiários. Segundo Scheibe, o cenário conservador projetado pela Abramge é reflexo das incertezas no campo político e econômico, do baixo nível de investimento e da piora na perspectiva de crescimento do emprego no Brasil. “Os desafios da saúde suplementar são inúmeros. Talvez o mais importante de todos seja a necessária mudança do modelo de pagamento, com foco no valor proporcionado ao cliente”, pondera o dirigente.

Sobre sua participação no Celebra – evento de fechamento do ano do mercado de saúde – Scheibe acredita que a união entre os stakeholders, em momentos como esse, é fundamental para a continuação e aperfeiçoamento do setor de saúde suplementar no Brasil. “Estarmos juntos, buscando soluções de forma integrada, se faz fundamental para o sucesso de um projeto sustentável de saúde suplementar no país”.

O Celebra vai ser realizado no Hotel Unique (SP), no dia 13 de dezembro de 2018, em uma cerimônia que contará com um jantar, um show e uma palestra do economista Gustavo Franco. O evento reunirá acionistas, presidentes e executivos das principais fontes pagadoras do país, prestadores e sociedades médicas.